Época 2013 / 2014 - Dimitris Andrikopoulos

Índice do artigo

"Retratos da Crise" 

“A crise sente-se. Está em todo o lado. Na boca de todos. Na rua. Onde quer que seja. Portanto, se a crise se inscreve, se escreve, se é representada, e extravasa os limites do suportável, e ameaça os fundamentos da democracia, e reduz a escombros o sonho de muitos e faz da angústia uma intolerável forma de vida, então é preciso tentar perceber o que é a crise, os seus fundamentos, o seus antecedentes, e ainda as vias que possam alimentar hipóteses de superação e também aquelas cuja validade, mesmo se justi­ficada em nome de ciência certa, resultam, a­nal, em mais crise. Neste ciclo, contudo, se a retórica política nos interessa enquanto narrativa da crise, a verdade é procuramos ir ao encontro dela de modo diferido, digamos assim, sendo que chegar até aí passa pela exploração de representações simbólicas da memória de outras crises, do passado olhado como presente que é já futuro, de um aqui e agora narrado com recurso a ferramentas e linguagens transversais num registo do qual a experimentação e a imaginação criadora são elementos cruciais da interpelação e do entendimento do

mundo.” Jorge Campos, Narrativa da Crise/ Crise da Narrativa, Ciclo de Fotografi­a e Cinema Documental - 9ª Edição, Imagens do Real Imaginado, 2012.

A origem deste projeto, em particular, nasceu do convite feito pelo departamento Artes da Imagem da ESMAE (Porto) para a 9ª Edição do Ciclo de Fotografi­a e Cinema Documental 2012. A utilização de ­lmes do início do século XX, serviu de mote principal para retratar uma sociedade que de certa forma não está longe da nossa realidade atual. Filmes dos realizadores Griffith, Metzner e Van Dyk, são aqui utilizados com a sonoplastia do duo.

"Eurídice após Orfeu"

A partir do mito de “Orfeu e Eurídice”, retoma-se a narrativa da paixão amorosa que sobrevive à própria morte adquirindo, deste modo, o estatuto de eternidade. Uma mulher – para lá da vida e da morte – obtém uma licença excecional para visitar, uma última vez, o seu amado. No entanto, e apesar de toda a paixão que a percorre, ela opta por não o fazer, preferindo guardar a memória da plenitude do seu amor, em lugar de seguir o homem que a ama, de volta à vida. Do lugar sombrio em que se encontra conta a sua história a um misterioso Senhor Presidente, narrando o eco de uma paixão subtil e impiedosa que contém toda a grandeza e mesquinhez da vida e da morte.

Workshop -  "Compor é fi­xe!!!!"

Técnica, forma, harmonia, timbre, dramaturgia e linguagem musical são questões que os compositores estão a lidar e reflectir-se numa base diária. Há muitas maneiras de abordar as questões acima postas e há muitas direções que têm sido seguidas ao longo da história da música, com a ­finalidade de resolver problemas e lidar com as várias possibilidades apresentadas.

Este curso é dirigido a jovens a partir de 14 anos e para adultos, amantes da música, que sentem-se a necessidade de criação musical e querem embarcar nesta viagem cheia de surpresas.

A metodologia que vai a ser seguida não seguirá o caminho seco e muitas vezes extremamente limitando, baseado no estudo técnico, mas partirá do elemento mais essencial da música: o som!

Cada participante é chamado para trazer o seu instrumento (tradicional ou elétrico) e, com a orientação dos tutores envolvidos, pesquisar as possibilidades de timbre e de som que pode ser produzido. Com esta forma, os participantes vão começar a entender a grande quantidade de possibilidades dentro e fora do âmbito tradicional de interpretação, que os seus instrumentos oferecem.

Pequenos conjuntos, formandos pelos participantes vão começar a improvisar / criar as suas próprias composições.

Desta forma, e com a orientação dos tutores, questões importantes, como a ideia musical, forma, contraste, harmonia e textura vão ser introduzidos lentamente, mas a partir de uma abordagem criativa e não de um ponto de vista teórico.

Como resultado ­final, as atividades serão encerradas com um pequeno concerto, onde os participantes irão interpretar os trabalhos criados durante o curso.

"Inside the Apple 2014"

“Inside the apple” é o segundo projeto proposto pelo Dimitris Andrikopoulos durante a sua residência artística no CCC.

A ideia por trás deste projeto é baseada no poema homónimo de Jehuda Amichai, um poeta Israelita proeminente. O poema retrata a intimidade, as relações emocionais fortes e a paixão, com um caráter quase elegíaco que realça fortes a­rmações sobre a vida e sobre as relações interpessoais. Cinco artistas, António Aguiar (contrabaixo), Dimitris Andrikopoulos (eletrónica), Nuno Aroso (percussão), Sérgio Carolino (tuba), e Laetitia Morais (vídeo/multimedia) se reúnem para pesquisar a essência das ideias acima referidas nas diferentes transformações musicais, criando uma espetáculo que conecta tudo em som e imagem.

 

  •  
     
     
  •  
     
     
     
  •  
     
     
     
  •  
     
     

Morada

  • Rua Dr. Leonel Sotto Mayor
    2500-227 Caldas da Rainha

+39° 24' 21.6606",
-9° 7' 53.2056"

Contactos

  • 262 094 081 / 262 889 650
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Newsletters

 

Redes sociais